Início / Policial / Corpo é encontrado carbonizado e suspeita é de que seja de cabo da PM

Corpo é encontrado carbonizado e suspeita é de que seja de cabo da PM

Fotos: Flávia Barros – Banda B

O corpo de um homem foi encontrado carbonizado dentro de um carro em Campo Largo, na manhã de sábado (6). O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 6h para atender a um veículo Renault Megane que estava em chamas na PR-423, que dá acesso ao Jardim Três Rios.

Segundo o sargento Chrestani, do 17º Batalhão da Polícia Militar (PM), assim que a equipe controlou o fogo, encontrou o corpo no banco traseiro. “Nós conseguimos identificar que se trata de alguém do sexo masculino, mas não é possível saber a idade, porque ele está muito queimado. Agora, o próximo passo é ir atrás do dono do automóvel para ver se há como colher mais informações”, disse ele em entrevista à Banda B.

Ainda de acordo com o sargento, as placas do Megane apontam que o carro está no nome de um cabo da PM, morador da região, que está desaparecido desde a noite desta sexta-feira (5). A família contou que ele havia viajado para o litoral junto com a namorada, que está grávida, e retornou ontem. O cabo deixou a companheira em casa e não foi mais visto. No sábado, o rapaz a encontraria novamente para acompanhá-la em uma ecografia, mas não apareceu.

Apesar da suspeita, como o corpo está carbonizado, não é possível afirmar que se trata do policial. O perito Teixeira, do Instituto de Criminalística, afirmou que apenas exames podem comprovar a identidade do corpo. “Nós vamos analisar se há resíduo orgânico com o qual dê para confrontar o DNA e trabalhar também na odontologia forense, para fazer a identificação por meio da arcada dentária. Pelo o que percebemos aqui, o homem foi morto com pelo menos três facadas, uma nas costas e duas na região do abdômen, antes de ser carbonizado”.

A polícia trabalha com as hipóteses de latrocínio (roubo seguido de morte) e homicídio. “Tudo indica que o crime não aconteceu nesse local, já que não havia respingos de sangue, apenas acúmulo na região lombar, no banco traseiro. Isso quer dizer que o corpo foi jogado no assento após a morte”, completou o perito.

Há denúncias de que o rapaz tenha sido assassinado no Jardim Meliane, mas ainda não há confirmação sobre esse detalhe. Policiais realizam diligências na região para apurar mais informações. A delegacia de Campo Largo investiga o caso.

Sobre Redação

Principais noticias e destaques do Brasil e do Mundo. Com conteúdo das melhores agências de notícias e assessorias, tudo selecionado pela Redação do Blog do Riomar Bruno.

Deixe uma resposta