Acontecendo

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Programa compara retrato falado e fotos para identificar criminosos

A tecnologia impulsionou uma antiga ferramenta de investigação policial. O retrato falado, que já havia ganhado uma versão digital, agora é incluído em um novo programa de auxílio à busca por criminosos no Paraná.

As imagens feitas pelos artistas forenses com informações fornecidas pelas vítimas passam por busca em um banco de dados com 78 mil fotos de pessoas com passagem pela polícia ou pelo Departamento de Execução Penal (Depen) paranaense. O sistema filtra perfis semelhantes e ajuda a apontar suspeitos da autoria de crimes.

O programa, desenvolvido por uma empresa de informática de Curitiba, passou a ser utilizado em janeiro desde ano. Entre vários casos, o mais conhecido solucionado graças à ferramenta foi a prisão dos envolvidos no assalto ao restaurante Madero, no bairro Cabral, em Curitiba, no início de abril.

O projeto, inicialmente, atende a Divisão de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) e suas respectivas delegacias: Furtos e Roubos, Furtos e Roubos de Veículos, Roubo de Cargas e Estelionato.

“A implantação do programa corrige uma lacuna que tínhamos por falta de boas filmagens nas cenas dos crimes e de fotos de criminosos. Precisávamos de um meio de fazer essa identificação e o sistema tem auxiliado a polícia na resolução dos crimes”, afirmou o delegado-titular da DCCP, Francisco Caricati. Ele informou que há uma parceria com a Celepar (Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná) para a ampliação do sistema.



Por enquanto, três investigadores – além de outro em treinamento – atendem as vítimas para a elaboração dos retratos falados. O trabalho, produzido no computador, é minucioso, leva de duas a quatro horas para ser finalizado. Centenas de fotos com recortes do formato de rostos, cabelos, olhos, boca e nariz compõem o sistema. As imagens são de criminosos ou de pessoas comuns que se voluntariaram para serem fotografadas.

“O mais importante para o desenho é o triângulo da face, que envolve olhos, boca e nariz. A atenção das pessoas nesses detalhes é importante para não ser escolhida uma imagem aleatória, que poderia caracterizar erroneamente um indivíduo”, disse o investigador Fabio Belem.

Formado na faculdade de Belas Artes, ele trabalhou por 15 anos com computação gráfica. Se a farta experiência com a tecnologia ajuda, ele confessa que o mais difícil é a entrevista com as vítimas, que precisa ser feita com cuidado e atenção para se extrair o máximo de características do suspeito.

A investigadora Daiane Zanon Griesbach conta que a vítima de um crime, em geral, grava muito mais detalhes de um rosto. “Se alguém tentar fazer um retrato falado de uma pessoa que vê todos os dias, bem conhecida, tem mais dificuldades. Quando o indivíduo está vivendo um momento de tensão, de terror, existe maior irrigação de sangue em algumas partes do corpo, uma delas é o cérebro, por isso elas conseguem lembrar melhor”, explicou Daiane.

Ela afirma que as mulheres são mais detalhistas nas narrativas e que a reação diante de uma imagem conta muito na hora da identificação. “Muitas vezes as pessoas choram, ficam nervosas, falam que parece estarem olhando para o criminoso, tamanha a semelhança”, acrescentou a investigadora.

*Informações da Agência Estadual de Noticias
*Imagem: Ilustrativa


Nenhum comentário:

Postar um comentário

» Os comentários não são de responsabilidade do Blog do Riomar Bruno;
» Os comentários deste Blog são todos moderados;
» Escreva apenas o que for referente ao tema;
» Ofensas pessoais ou spam não serão aceitos;
» Faça comentários relevantes;
» Para entrar em contato acesse nosso formulário de contato;
» O Blog não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo;
» Ao comentar você declara que leu e aceita as regras dos comentários e que ele não fere o Marco Civil da Internet;
» Obrigado por sua visita e volte sempre.

Doações
Todo o conteúdo do Blog do Riomar Bruno é gratuito, mas você pode ajudar nos custos de manutenção e produção do Blog. Faça sua doação, clique aqui para saber como.
Blog do Riomar Bruno
Rua Conrado Buhrer, 255 - Centro
Porto Amazonas - PR
Jornalista Responsável: Riomar Bruno dos Santos Ferreira
Comercial: (42) 99144-3838
falecom@riomarbruno.com.br
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Blog do Riomar Bruno.
-Textos e imagens de nossa redação podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte. Conteúdos e imagens aqui veiculadas são de responsabilidade das fontes aqui citadas
Duvidas e sugestões entre em contato.