Acontecendo

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Paraná bate recorde na captação de órgãos para transplantes

Nas últimas 24 horas foram realizadas oito captações de órgãos para transplantes no Paraná. Até então, o recorde de captações no período de um dia era de seis doações, ocorrido em 2015. Este ano já foram contabilizadas 127 doações no Estado – número também recorde quando comparado aos primeiros cinco meses dos anos anteriores.

De acordo com a coordenadora da Central Estadual de Transplantes (CET), Arlene Badoch, é a primeira vez na história da Central em que acontecem tantas captações em tão pouco tempo. “Isso mostra que o esforço que temos feito para sensibilizar a população sobre a importância da doação de órgãos e o trabalho voltado ao aperfeiçoamento de nossa estrutura está dando resultados”, comemora a coordenadora da CET, Arlene Badoch.

No total, foram captados 16 rins, seis fígados e dois pâncreas. Sete rins foram transplantados em Curitiba, sendo dois transplantes conjugados com fígado e pâncreas. Um rim foi encaminhado para Pato Branco, um para Londrina e outros dois não apresentaram compatibilidade no Paraná e foram ofertados para o sistema nacional. Cinco deles ainda aguardam exames de compatibilidade.

Todos os transplantes de fígado foram feitos na Capital do Estado. Um pâncreas foi transplantado em Curitiba e o outro ainda aguarda avaliação de compatibilidade. Também foram retiradas as córneas de quatro doadores, que serão enviadas a bancos de olhos, e duas captações de valvas cardíacas.

As captações ocorreram entre quarta e quinta-feira (15 e 16) no Hospital do Rocio, em Campo Largo; Hospital Ônix, em Curitiba; Hospital Evangélico, também em Curitiba; Hospital Santa Rita, em Maringá; Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá; Hospital Bom Jesus, em Ponta Grossa; Hospital São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba; Hospital Metropolitano, em Sarandi, na região Norte do Estado.

DOAÇÃO


Para ser um doador não é necessário deixar nada por escrito, mas é fundamental comunicar à família esse desejo. Rins, parte do fígado e da medula óssea podem ser doados em vida. Mas, em geral, a doação ocorre após a morte e sempre com a autorização familiar.

Arlene explica que o transplante é a única chance de continuar vivendo para muitos pacientes e por isso o assunto da doação deve ser discutido. “Todas as pessoas são potenciais doadores de órgãos, mas como a doação só ocorre com a autorização dos familiares mais próximos é essencial que a vontade de doar os seja sempre comunicada em casa”, lembra a coordenadora.

















*Fonte Agência Brasil
*Imagem: Ilustrativa


Nenhum comentário:

Postar um comentário

» Os comentários não são de responsabilidade do Blog do Riomar Bruno;
» Os comentários deste Blog são todos moderados;
» Escreva apenas o que for referente ao tema;
» Ofensas pessoais ou spam não serão aceitos;
» Faça comentários relevantes;
» Para entrar em contato acesse nosso formulário de contato;
» O Blog não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo;
» Ao comentar você declara que leu e aceita as regras dos comentários e que ele não fere o Marco Civil da Internet;
» Obrigado por sua visita e volte sempre.

Doações
Todo o conteúdo do Blog do Riomar Bruno é gratuito, mas você pode ajudar nos custos de manutenção e produção do Blog. Faça sua doação, clique aqui para saber como.
Blog do Riomar Bruno
Rua Conrado Buhrer, 255 - Centro
Porto Amazonas - PR
Jornalista Responsável: Riomar Bruno dos Santos Ferreira
Comercial: (42) 99144-3838
falecom@riomarbruno.com.br
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Blog do Riomar Bruno.
-Textos e imagens de nossa redação podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte. Conteúdos e imagens aqui veiculadas são de responsabilidade das fontes aqui citadas
Duvidas e sugestões entre em contato.