Acontecendo

terça-feira, 7 de junho de 2016

Dados de milhões de usuários do VK, o 'Facebook russo', vazam na web

Um pacote contendo dados de 100 milhões de usuários da rede social VK, conhecida como o "Facebook russo" por ser a maior naquele país, foi colocado à venda na web por 1 Bitcoin, ou aproximadamente R$ 2,3 mil.

Segundo um levantamento de audiência feito em dezembro de 2015 pelo TNS Web Index, a VK tem 46,6 milhões de usuários mensais na Rússia, contra 21,6 milhões do Facebook. No mundo, a empresa diz ter 90 milhões de usuários ativos por mês. A rede social também é conhecida pelo seu nome original, "VKontakte".

O vendedor dos dados é o mesmo hacker que comercializa os bancos de dados roubados das redes sociais LinkedIn e MySpace. Ele é conhecido como "Peace". Assim como os dados das redes sociais americanas, os dados vazados do VK não são recentes. Estima-se que eles tenham sido obtidos entre o final de 2012 e o início de 2013.

Em um comunicado, a VK negou ter sido hackeada. A companhia disse ter tomado diversas medidas para proteger os usuários, incluindo a adoção de autenticação de dois fatores, e afirmou que o pacote não inclui um login válido para usuários ativos desde 2012 por conta desses avanços na segurança do site. Mesmo assim, o site diz que vai obrigar uma alteração de senha para os usuários afetados.

Existe a possibilidade de que o conjunto de dados seja falso e tenha sido "costurado" a partir de dados de outras fontes. Em uma análise do site "Motherboard", que teve acesso aos dados, 92 de 100 contas do pacote, escolhidas aleatoriamente, corresponderam a contas ativas no VK.

Segundo o site "ZDNet", o pacote completo dos dados teria um total de 171 milhões de registros. Porém, tanto o conjunto disponibilizado para venda como o que foi obtido pelo site "LeakedSource", que reúne dados vazados, contém 100 milhões de registros.

Se a VK não foi hackeada, não está claro como o hacker poderia ter obtido tantos registros de usuários da rede. Um comunicado do VK diz que usuários precisam ter cuidado ao instalarem programas em seus computadores, dando a entender que as senhas poderiam ter sido capturadas por programas espiões.

Fundador criou Telegram e tentou empregar Snowden

O fundador da rede social VK, Pavel Durov, é também o criador do programa de mensagens Telegram. Durov foi obrigado a fugir do país após contrariar as autoridades e negar-se a entregar informações sobre dissidentes ucranianos.

Em 2013, quando ainda comandava a rede social, Durov ofereceu emprego ao ex-analista da CIA Edward Snowden, a quem chamou de "herói pessoal". Snowden não aceitou a proposta. Em dezembro de 2015, o ex-analistas, que tem asilo político na Rússia, também criticou a configuração padrão de segurança do Telegram.


*Informações da Agência Brasil
*Imagem: Ilustrativa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

» Os comentários não são de responsabilidade do Blog do Riomar Bruno;
» Os comentários deste Blog são todos moderados;
» Escreva apenas o que for referente ao tema;
» Ofensas pessoais ou spam não serão aceitos;
» Faça comentários relevantes;
» Para entrar em contato acesse nosso formulário de contato;
» O Blog não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo;
» Ao comentar você declara que leu e aceita as regras dos comentários e que ele não fere o Marco Civil da Internet;
» Obrigado por sua visita e volte sempre.

Doações
Todo o conteúdo do Blog do Riomar Bruno é gratuito, mas você pode ajudar nos custos de manutenção e produção do Blog. Faça sua doação, clique aqui para saber como.
Blog do Riomar Bruno
Rua Conrado Buhrer, 255 - Centro
Porto Amazonas - PR
Jornalista Responsável: Riomar Bruno dos Santos Ferreira
Comercial: (42) 99144-3838
falecom@riomarbruno.com.br
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Blog do Riomar Bruno.
-Textos e imagens de nossa redação podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte. Conteúdos e imagens aqui veiculadas são de responsabilidade das fontes aqui citadas
Duvidas e sugestões entre em contato.