Acontecendo

terça-feira, 24 de maio de 2016

Dirigir e falar ao celular aumenta em 400% o risco de acidentes

A campanha 31 Dias para Mudar o Trânsito, do Detran Paraná para o Maio Amarelo, volta a alertar sobre os perigos de falar ao celular ao dirigir, nesta terça-feira (24). Um estudo do Departamento de Trânsito e Segurança nas Estradas dos Estados Unidos (NHTSA) aponta que o uso de dispositivos móveis ao volante aumenta em até 400% o risco de acidente.

No Paraná, são registradas, em média, 110 mil infrações por uso do celular no trânsito todos os anos. Em 2016, de janeiro a abril, já foram 30.771 multas cadastradas por este motivo. “O tema vem sendo abordado constantemente em campanhas educativas, mas, ainda assim, as pessoas resistem em mudar o hábito”, conta o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

O motorista imagina que não tem problema falar no celular enquanto dirige. “Ele julga ter capacidade de sobra para realizar as duas coisas, não percebe que a atenção fica dispersa e aí também não percebe o pedestre que vai atravessar a rua, o motoqueiro que vai trocar de faixa, o ciclista que surgiu ao lado”, destaca Traad.

ATENÇÃO - De acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), um condutor desconecta-se da direção desde o toque inicial de uma ligação no celular. Em média, leva-se de quatro a cinco segundos para fazer o contato com o aparelho já desbloqueado – ou seja, se o carro estiver a 100 Km/h, são 120 metros dirigindo sem visibilidade da via. Outro problema é a visão restrita à frente enquanto fala ao celular, com prejuízo ao que acontece nas laterais do carro.

Para o especialista em trânsito Celso Alves Mariano a questão é comportamental. “Não há atenção que resista ao apelo de um telefone tocando e não há mente que mantenha uma conversa ao telefone sem dedicar grande atenção”, diz ele. “Assim, todo condutor deveria colocar seu celular longe de si, ou desligado, antes de sair. Qualquer outra opção é dar chance para um fator cada vez mais presente nos acidentes de trânsito.”

MUDANÇA - Quem já passou por um susto causado pela desatenção ao volante, como a gestora comercial Cristina Fogaça, repensa a postura ao volante e evita atender ligações no trânsito. “Estava no celular e não vi uma blitz mais à frente. Só percebi com a batida. Destruí meu carro e tive prejuízo financeiro. Hoje eu deixo o telefone na bolsa, nem olho”, afirma Cristina.

O advogado Thiado Souza também bateu o carro. “Estava na saída da faculdade, na fila do estacionamento, em velocidade muito baixa e achei que não tinha problema atender o celular. Em questão de segundos me distraí e bati”, recorda ele.

*Informações da Agência Estadual de Noticias
*Imagem: Ilustrativa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

» Os comentários não são de responsabilidade do Blog do Riomar Bruno;
» Os comentários deste Blog são todos moderados;
» Escreva apenas o que for referente ao tema;
» Ofensas pessoais ou spam não serão aceitos;
» Faça comentários relevantes;
» Para entrar em contato acesse nosso formulário de contato;
» O Blog não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo;
» Ao comentar você declara que leu e aceita as regras dos comentários e que ele não fere o Marco Civil da Internet;
» Obrigado por sua visita e volte sempre.

Doações
Todo o conteúdo do Blog do Riomar Bruno é gratuito, mas você pode ajudar nos custos de manutenção e produção do Blog. Faça sua doação, clique aqui para saber como.
Blog do Riomar Bruno
Rua Conrado Buhrer, 255 - Centro
Porto Amazonas - PR
Jornalista Responsável: Riomar Bruno dos Santos Ferreira
Comercial: (42) 99144-3838
falecom@riomarbruno.com.br
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Blog do Riomar Bruno.
-Textos e imagens de nossa redação podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte. Conteúdos e imagens aqui veiculadas são de responsabilidade das fontes aqui citadas
Duvidas e sugestões entre em contato.