Acontecendo

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Sesa confirma primeira morte pela dengue no Estado; vítima era moradora em Paranaguá

A primeira morte por Dengue no Paraná foi confirmada há pouco pela Secretária de Saúde (Sesa). A vítima era uma moradora em Paranaguá, Litoral do Estado, cidade em que se foi decretado estado de emergência devido ao mosquito Aedes aegypti.

A universitária Karinna Patrezzi, de 25 anos, que cursava Letras em Paranaguá, não resistiu após quase uma semana internada. Vários amigos lamentam a morte na rede social Facebook.

Confira a nota na íntegra divulgada pela Sesa:

A Secretaria Estadual da Saúde informa que a paciente K.S.P, internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional do Litoral (HRL), em Paranaguá, morreu às 7h11 desta sexta-feira (8) por conta de complicações de um caso de dengue grave.

– A jovem, de 25 anos, moradora de Paranaguá, recebeu toda a assistência ambulatorial e hospitalar adequada para este tipo de caso, mas não resistiu ao agravamento do quadro clínico da doença.

– K.S.P manifestou os primeiros sintomas de dengue no domingo (3) e foi atendida no Pronto Atendimento 24 horas da Vila Divineia, em Paranaguá. Ela se queixava de febre, dor de cabeça, vômito, tontura, diarreia, dor de garganta, dor muscular, dor nas articulações, dor abdominal, dor atrás dos olhos, tosse, falta de ar e perda de apetite. A paciente foi medicada, estabilizada e recebeu alta médica no mesmo dia.

– Porém, dois dias depois, na terça-feira (5), K.S.P teve uma piora no quadro clínico, sendo atendida na Unidade de Saúde da Serraria do Rocha. O médico de plantão avaliou o caso e transferiu a paciente com urgência para o Hospital Regional do Litoral.

– No Hospital, K.S.P foi submetida a uma série de exames que confirmaram o diagnóstico de dengue. Logo em seguida, a paciente precisou ser encaminhada à UTI para receber cuidados mais especializados.

– Na quarta-feira (6), K.S.P apresentou insuficiência renal, entre outras complicações graves e mesmo com todo suporte de terapia intensiva a paciente não respondeu bem ao tratamento e morreu no início da manhã desta sexta.

– Esta é a primeira morte causada pela dengue no Paraná neste novo período epidemiológico, que vai de agosto de 2015 a julho de 2016. Trata-se também do primeiro óbito da doença em Paranaguá, cidade que enfrenta uma situação de epidemia de dengue, com 491 casos confirmados desde agosto de 2015.

– Em todo o Estado, 1.726 casos de dengue já foram confirmados até a primeira semana de janeiro. 99 municípios registraram casos autóctones da doença, ou seja, quando a infecção ocorre dentro da própria cidade. Isso reforça a necessidade de medidas preventivas, sobretudo com a eliminação dos criadouros do mosquito em casas, quintais, estabelecimentos comerciais e vias públicas.

DENGUE – Até o momento, cinco cidades já estão em situação de epidemia de dengue no Estado: Munhoz de Mello, Santa Isabel do Ivaí, Itambaracá, Guaraci e Paranaguá. Esta é primeira vez que um município do litoral paranaense é considerado epidêmico para a doença. Ao todo, a cidade portuária de Paranaguá registra 491 casos da doença, desde agosto de 2015.

O Governo do Estado, em conjunto com a prefeitura de Paranaguá, realizou no mês de dezembro do ano passado, uma série de ações para intensificar o trabalho de combate ao mosquito em todos os bairros da cidade. Na época, a Secretaria da Saúde inclusive enviou uma equipe de profissionais do interior do Estado para auxiliar a prefeitura nas atividades de bloqueio.

464Também foi deslocada à Paranaguá parte da frota de camionetes fumacê do governo estadual, que atuam na aplicação de inseticida contra o mosquito em sua forma alada (adulto). Ainda em dezembro, o Estado destinou R$ 255 mil à prefeitura através do programa VigiaSUS, a fim de dar suporte financeiro ao reforço das ações preventivas contra a dengue.

Em todo o Estado, 1.726 casos de dengue já foram confirmados. Segundo informações dos municípios, apenas dois pacientes evoluíram para a forma grave da doença, mas foram curados.

ZIKA E CHIKUNGUNYA – O boletim informativo da Secretaria Estadual da Saúde, divulgado nesta terça-feira (5), traz ainda informações sobre a circulação do zika vírus a partir de agosto do ano passado. Ao todo, foram notificados 30 casos suspeitos no Paraná, sendo que seis já foram descartados por terem diagnóstico laboratorial confirmado para dengue. O restante segue em investigação.

Quanto à febre chikungunya, o Paraná registra neste mesmo período apenas um caso confirmado autóctone da doença, ou seja, quando o paciente foi infectado dentro do próprio Estado. Trata-se de um paciente de Mandaguari que já foi tratado e passa bem. Existem ainda outros três casos importados de outros Estados.

*Reportagem da Banda B
*Créditos da Imagem: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

» Os comentários não são de responsabilidade do Blog do Riomar Bruno;
» Os comentários deste Blog são todos moderados;
» Escreva apenas o que for referente ao tema;
» Ofensas pessoais ou spam não serão aceitos;
» Faça comentários relevantes;
» Para entrar em contato acesse nosso formulário de contato;
» O Blog não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo;
» Ao comentar você declara que leu e aceita as regras dos comentários e que ele não fere o Marco Civil da Internet;
» Obrigado por sua visita e volte sempre.

Doações
Todo o conteúdo do Blog do Riomar Bruno é gratuito, mas você pode ajudar nos custos de manutenção e produção do Blog. Faça sua doação, clique aqui para saber como.
Blog do Riomar Bruno
Rua Conrado Buhrer, 255 - Centro
Porto Amazonas - PR
Jornalista Responsável: Riomar Bruno dos Santos Ferreira
Comercial: (42) 99144-3838
falecom@riomarbruno.com.br
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Blog do Riomar Bruno.
-Textos e imagens de nossa redação podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte. Conteúdos e imagens aqui veiculadas são de responsabilidade das fontes aqui citadas
Duvidas e sugestões entre em contato.