Acontecendo

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Polícia desarticula quadrilha suspeita de falsificar diplomas

A Polícia Civil deflagrou nesta quarta-feira (2) a operação Volta às Aulas com o objetivo de desarticular uma quadrilha suspeita de falsificar certificados e históricos escolares de conclusão de 1º e 2º grau, na modalidade de Educação de Jovens e Adultos a distância. Cinco pessoas já foram presas. Ao todo foram cumpridos 26 mandados de busca.

A operação, coordenada pelo Nurce (Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos), aconteceu em Curitiba, Fazenda Rio Grande, São José dos Pinhais, Piraquara e Pinhais (Região Metropolitana). Representantes da Secretaria de Estado da Educação do Paraná (Seed) acompanham a ação policial.

O esquema criminoso consistia em um comércio clandestino de venda de diplomas e certificados, com o agravante que os alunos sequer faziam as provas e ao final recebiam os documentos.

A suspeita é que duas empresas, a Interathyvo e a Paraná Cursos, buscavam através de propagandas alunos que necessitavam concluir o ensino médio e fundamental. Mas em vez de oferecerem o curso, as empresas cobravam de R$ 1.300 até R$ 1.700, e falsificavam as provas inclusive documentos pessoais enviados para a Secretaria da Educação do Paraná.

“A média de tempo regular para fazer o curso médio e fundamental é de 18 meses. Neste caso, os alunos que buscavam estas empresas marcavam e faziam as provas em uma semana em papel sulfite sem timbre”, explicou Renato Basto Figueroa, delegado-chefe do Nurce.

Com os documentos pessoais dos alunos e as falsas provas, as empresas encaminhavam toda a documentação para o Instituto Brasileiro de Ensino à Distância (Ibed) – que tinha habilitação legal para emitir os diplomas e certificados. O Ibed por sua vez encaminhava todo o processo para a Secretaria da Educação para homologação dos diplomas e certificados.

“Na sede do Ibed foram apreendidos diversos documentos que comprovam a irregularidade. Foram apreendidas inclusive provas completamente em branco, mas com notas de aprovação do curso assinado pela coordenadora pedagógica”, disse o delegado-adjunto do Nurce, Victor Loureiro, responsável pela investigação. “A secretaria da Educação foi mais uma vítima desta quadrilha uma vez que recebiam pastas montadas com falsos documentos”, disse.

A investigação teve início em abril e foi deflagrada nesta quarta-feira com a participação de 80 policiais. O dono da Interathyvo é apontado como chefe da quadrilha. Um diretor do Ibed e uma secretária também foram detidos. Todos responderão pelo crime de falsificação de documento público, falsidade ideológica, estelionato e associação criminosa. Os alunos que se beneficiaram da fraude serão ouvidos pelo Nurce e poderão responder por uso de documento falso.

* Reportagem da Agência Estadual de Noticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

» Os comentários não são de responsabilidade do Blog do Riomar Bruno;
» Os comentários deste Blog são todos moderados;
» Escreva apenas o que for referente ao tema;
» Ofensas pessoais ou spam não serão aceitos;
» Faça comentários relevantes;
» Para entrar em contato acesse nosso formulário de contato;
» O Blog não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo;
» Ao comentar você declara que leu e aceita as regras dos comentários e que ele não fere o Marco Civil da Internet;
» Obrigado por sua visita e volte sempre.

Doações
Todo o conteúdo do Blog do Riomar Bruno é gratuito, mas você pode ajudar nos custos de manutenção e produção do Blog. Faça sua doação, clique aqui para saber como.
Blog do Riomar Bruno
Rua Conrado Buhrer, 255 - Centro
Porto Amazonas - PR
Jornalista Responsável: Riomar Bruno dos Santos Ferreira
Comercial: (42) 99144-3838
falecom@riomarbruno.com.br
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Blog do Riomar Bruno.
-Textos e imagens de nossa redação podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte. Conteúdos e imagens aqui veiculadas são de responsabilidade das fontes aqui citadas
Duvidas e sugestões entre em contato.