Acontecendo

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Queda nas vendas do comércio paranaense é menor que a nacional

O volume de vendas dos estabelecimentos comerciais de varejo paranaense na mensuração restrita (que não considera os ramos de veículos, motos e material de construção), no Estado, caiu 4,2% em setembro de 2015 no confronto com o mesmo mês de 2014, ante recuo de 6,2% na média nacional, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os principais responsáveis por esse resultado foram os setores de móveis (-25,4%), equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-19,3%), livros, jornais, revistas e papelaria (-13,1), tecidos, vestuário e calçados (-12,2%) e eletrodomésticos (-10,8%).

No acumulado de janeiro a setembro de 2015, o comércio varejista paranaense recuou -1,2% ante decréscimo de 3,3% na média nacional. As principais contribuições negativas vieram dos ramos de móveis (-15,2%), livros, jornais, revistas e papelaria (-12,1%), tecidos, vestuário e calçados (-8,7%) e eletrodomésticos (-7,1%).

No indicador acumulado em doze meses, encerrados em setembro de 2015, as vendas do comércio regional recuaram 0,4% versus queda de 2,1% na média nacional. Os ramos que mais influenciaram negativamente nas vendas foram livros, jornais, revistas e papelaria (-13,3%), móveis (-11,6%), tecidos, vestuário e calçados (-7,2%) e eletrodomésticos (-5,5%).

Na definição ampliada (que contempla, além do varejo, as atividades de veículos, motos, partes e peças e de materiais de construção), caiu 9,8% no mês de setembro, recuou 7,4% no acumulado dos primeiros nove meses de 2015 e declinou 6% no acumulado em doze meses (terminados em setembro). No Brasil, o volume de vendas comercial mostrou variação negativa de 11,5% no mês, redução de 7,4% no acumulado do ano e recuo de 6% em doze meses.

Segundo Francisco José Gouveia de Castro, diretor do Centro Estadual de Estatística do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social), os resultados do comércio varejista paranaense, em setembro de 2015, refletem as condições macroeconômicas nacional, com reflexo na esfera estadual. A escalada da inflação, juntamente com o aumento da taxa de juros, a desvalorização do Real frente ao Dólar e as expectativas negativas quanto ao futuro da economia, têm comprometido o poder de compra das famílias, diz ele.

“De fato, o ambiente desfavorável ao setor varejista reforça o enfraquecimento do mercado de trabalho, já que o comércio é o maior empregador da economia, inibindo a compra de produtos, ocorrendo uma espécie de círculo vicioso”.

Agencia Estadual de Noticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

» Os comentários não são de responsabilidade do Blog do Riomar Bruno;
» Os comentários deste Blog são todos moderados;
» Escreva apenas o que for referente ao tema;
» Ofensas pessoais ou spam não serão aceitos;
» Faça comentários relevantes;
» Para entrar em contato acesse nosso formulário de contato;
» O Blog não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo;
» Ao comentar você declara que leu e aceita as regras dos comentários e que ele não fere o Marco Civil da Internet;
» Obrigado por sua visita e volte sempre.

Doações
Todo o conteúdo do Blog do Riomar Bruno é gratuito, mas você pode ajudar nos custos de manutenção e produção do Blog. Faça sua doação, clique aqui para saber como.
Blog do Riomar Bruno
Rua Conrado Buhrer, 255 - Centro
Porto Amazonas - PR
Jornalista Responsável: Riomar Bruno dos Santos Ferreira
Comercial: (42) 99144-3838
falecom@riomarbruno.com.br
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Blog do Riomar Bruno.
-Textos e imagens de nossa redação podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte. Conteúdos e imagens aqui veiculadas são de responsabilidade das fontes aqui citadas
Duvidas e sugestões entre em contato.