Acontecendo

Geral
Campos Gerais

Porto Amazonas

Geral

Economia

Foto do Dia

Últimas Notícias

domingo, 22 de janeiro de 2017

Com 33 artigos alterados em 2016, Código Brasileiro de Trânsito completa 19 anos


Com 33 artigos alterados em 2016, o Código Brasileiro de Trânsito (CTB), que entrou em vigor em 21 de janeiro de 1998, completa hoje (22) 19 anos. Com o intuito de regulamentar as atividades de planejamento, administração, licenciamento de veículos, formação, habilitação e educação de condutores e futuros condutores, a legislação de trânsito brasileira está cada vez mais rigorosa.

A adequação mais recente foi em 1° de novembro do ano passado, quando entrou em vigor a Lei Federal 13.281 que, dentre outras medidas que visam a diminuir o número de acidentes e de vítimas do trânsito, reajustou o valor das multas.

A punição para infração leve subiu de R$ 53,20 para R$ 88,38 e para infração média, de R$ 85,13 para R$ 130,16. Os valores cobrados de quem comete infração grave e gravíssima também subiram. No primeiro caso de R$ 127,69 para R$ 195,23 e no segundo de R$ 191,54 para R$ 293,47.

Além disso, a classificação de algumas infrações também mudou. O uso de celular ao volante, até então considerada média com multa e perda de quatro pontos na carteira, tornou-se infração gravíssima com perda de sete pontos.

A recusa em fazer o teste do bafômetro, que não era considerada infração, passou a ser infração gravíssima, com o valor multiplicado por 10. Ou seja, quem não fizer o teste poderá ser autuado em R$ 2.930. O motorista também terá a habilitação apreendida pelo prazo de 12 meses.

No entanto, para o Coordenador-Geral de Educação do Denatran, Francisco Garonce, apesar do esforço em adaptar e modernizar a legislação, ainda há muito trabalho a ser feito para tornar as vias do país seguras.

"O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) tem atuado em diversas frentes, que vão desde o apoio a campanhas educativas e ações para melhorar os processos de formação de condutores até ações voltadas para a segurança nas estradas, nas ruas e nos próprios veículos”, diz Garonce.





*Fonte Agência Brasil
*Colaborou Mariana Branco – Repórter da Agência Brasil

*Imagem: Ilustrativa / Divulgação


sábado, 21 de janeiro de 2017

Passageira cai de veiculo em movimento e é atropelada na BR 277



Em Balsa Nova (PR), na BR 277, quilômetro 127, na pista sentido Curitiba, na descida da serra de São Luiz do Purunã às 19h15 deste sábado (21), a PRF registrou uma queda de veículo seguida de atropelamento.

A porta de uma Kombi se abriu em uma curva e uma passageira, que não usava cinto de segurança, de 44 anos de idade, caiu sobre o asfalto. Na sequência, ela foi atropelada por um caminhão e morreu no local.
O veiculo em que estava a vitima fatal bem como o veiculo que acabou atropelando, permaneceram no local ate a chegada da PRF, o corpo foi recolhido ao IML de Curitiba. Ainda conforme a polícia, a Kombi estava equipada com cinto de segurança apenas no banco dianteiro. A mulher estava sentada na parte traseira do veículo.

A família passou a tarde em uma chácara na região de São Luiz do Purunã, o acidente aconteceu quando voltavam para sua residencia em Campo Largo. A vitima foi identificada como Sirlei Ramos e viajava com o marido e mais dois filhos, eles chocados, não souberam explicar como o acidente aconteceu, apenas que a porta se abriu na curva e ela acabou caindo.

Equipes de resgate e tráfego da concessionária CCR RodoNorte se deslocaram ao local rapidamente, mas a vítima não resistiu aos ferimentos. Agentes da PRF também estiveram no local, isolando a área e recolhendo as primeiras informações sobre o acidente.

Uma das pistas ficou bloqueada enquanto o corpo era recolhido e a PRF registrava o acidente.



*Com Informações de Michel Martins Rede News 24Hrs / Plantão Policial WhatsApp
Fotos Reprodução WhatsApp



Acidente entre caminhões mata motorista na BR-277



O motorista de um caminhão bitrem morreu em um grave acidente na pista sentido Ponta Grossa da BR-277 na noite desta sexta-feira (20). O caso aconteceu no km 129 da rodovia, em Balsa Nova.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o condutor do bitrem, com placas de Contenda, bateu em cheio contra a traseira de outro caminhão, de Guarapuava. Com o impacto, o homem morreu na hora e a cabine do veículo ficou completamente destruída. O outro motorista não se feriu.

Com o acidente, a pista ficou totalmente interditada por mais de quatro horas. O corpo da vítima, Paulo Roberto Lima da Rocha , foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba.



*Fonte Show de Noticias 
*Imagem: Reprodução WhatsApp


Governo Federal libera R$ 17,9 milhões para a saúde dos Campos Gerais


O ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), visitou Ponta Grossa nessa sexta-feira (20) para uma reunião de trabalho com os prefeitos da região. Além de anunciar mais de R$ 17,9 milhões para Ponta Grossa e outros municípios dos Campos Gerais, incluindo Porto Amazonas, Barros ressaltou a necessidade de ampliar os investimentos da União no financiamento da Saúde Pública. De acordo com o paranaense, a atual aplicação de recursos tem “sufocado” os prefeitos.

Após cumprir agenda em Cornélio Procópio, na região norte do Paraná, Barros chegou a Ponta Grossa por volta das 14h. O ministro realizou uma reunião de trabalho com prefeitos dos Campos Gerais e também da região central do Estado. Após apresentar um balanço dos 200 dias no comando de um dos ministérios mais importantes do Governo Federal, Barros ouviu questionamentos dos prefeitos e secretários da Saúde.


“Atualmente a União tem bancado uma fatia pequena do investimento em Saúde, mas com as economias que temos conseguido a minha perspectiva, a médio prazo, quero ampliar os investimentos no custeio do setor para ‘desafogar’ os prefeitos e gestores municipais”, contou Barros. Desde que assumiu o ministério, o paranaense implementou uma série de reformas e mudanças que resultaram, de acordo com o próprio Barros, em um investimento de R$ 2,1 bilhões.

Barros lembrou que historicamente durante as administrações passadas a União vinha deixando de custear a Saúde, deixando a cargo dos prefeitos parte considerável dos investimentos.

“Esses recursos vão contribuir para melhorar e acelerar o atendimento de quem precisa de exames, consultas e cirurgias. Além de garantir o custeio de serviços o custeio de serviços que necessitavam da nossa contrapartida. Em todo o Brasil a economia é de R$ 1,9 bilhão em 200 dias de gestão. Esses recursos estão sendo reaplicados para a oferta de mais serviços de saúde”, destacou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Dos 17,9 milhões liberados para a região, R$ 4,1 milhões beneficiam serviços como leitos de UTI, SAMU, saúde bucal, além do custeio de procedimentos ambulatoriais e internações especializados em média e alta complexidade, como oncologia e traumatologia e ortopedia. Para incrementar o repasse, ainda foram liberados R$ 13,7 milhões referentes a emendas parlamentares.

Além de Ponta Grossa, gestor da AMCG, integram o consórcio os municípios Arapoti, Carambeí, Castro, Imbaú, Ipiranga, Ivaí, Jaguariaíva, Ortigueira, Palmeira, Pirai do Sul, Porto Amazonas, Reserva, São João do Triunfo, Sengés, Telêmaco Borba, Tibagi, Ventania.


Com a presença de diversas autoridades estaduais e federais, entre elas os deputados federais Sandro Alex (PSD) e Aliel Machado (REDE), e a vice-governadora Cida Borghetti (PP). Também compuseram a mesa a prefeita em exercício, Elizabeth Schmidt (PSB), o prefeito de Carambeí e presidente do Consórcio de Saúde dos Campos Gerais, Osmar Blum (PSD), e o presidente da Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG) e prefeito de Jaguariaíva, Juca Sloboda (PHS). Porto Amazonas foi representado pelo prefeito Antonio Polato e pela diretora do Departamento de Saúde, Thaís Hornung Sedlak. De uma maneira geral, as autoridades elogiaram a ação de Barros no comando da pasta e agradeceram o trabalho do ministro.

Ministro quer incentivar digitalização do sistema

Desde que assumiu o Ministério da Saúde, em maio de 2016, Barros tem apostado na digitalização do sistema de informações para potencializar a aplicação de recursos. “Nós precisamos saber como é gasto cada real do Ministério, entender como vocês, prefeitos, usam o dinheiro da Saúde, essa é uma questão essencial”, contou o ministro. Barros ressaltou que o Ministério prepara o lançamento de um site que comporte vários softwares gratuitos para serem utilizados pelos gestores de Saúde. “Nossa ideia é desburocratizar e aumentar a troca de experiências bem sucedidas no setor”, garantiu o paranaense.

União consegue economia na compra de medicamentos

Ricardo Barros ressaltou que boa parte dos mais de R$ 2 bilhões economizados no ministério são frutos da renegociação na compra de medicamentos. “Estamos abertos a negociar com os laboratórios que tiverem os melhores preços e produtos, com essa ideologia já conseguimos avançar no tratamento do HIV, por exemplo, pagando mais barato em um remédio de primeira linha, quando antes o medicamento distribuído era o de segunda linha e custava mais caro”, afirmou o ministro. O mesmo tem sido aplicado no Ministério na aquisição de outros insumos bancados pela União.


*Fonte Agência Saúde



quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Polícia apreende materiais de pesca predatória no Rio Iguaçu

A Polícia Ambiental apreendeu diversos materiais utilizados para pesca predatória entre Porto Amazonas e São João do Triunfo, na tarde desta quarta-feira (18). Por volta de 16 horas, os policiais iniciaram o patrulhamento aquático no Rio Iguaçu. A fiscalização começou na balsa do município e seguiu até a Vila Palmira, em São João do Triunfo.

Em cinco horas de patrulhamento, os policiais encontraram armados 20 catueiros, 22 linhas de mão e uma rede com 30 metros de comprimento. Os responsáveis pelos materiais não foram identificados.

Os acessórios foram apreendidos e encaminhados ao Posto de Polícia Ambiental de Vila Velha para serem destruídos.


Denuncie

A Polícia Ambiental informa, que além do telefone do Posto Policial Ambiental de Vila Velha (42) 3228-1581, agora está atendendo denúncias referentes a crimes ambientais, também pelo número 181 - Disque Denúncia.



*Fonte Policia Ambiental
*Imagem: Ilustrativa / Divulgação


Grave acidente na BR 476 deixa um morto e e cinco feridos

Um grave acidente aconteceu na madrugada desta quinta-feira 19 na br-476 Km 220 entre São Mateus do Sul e Lapa, envolvendo ônibus e veículo.

A PRF de São Mateus do Sul atendeu a ocorrência e acionou os Bombeiros da Lapa por volta das 4h00min da manhã para auxiliar, rapidamente a equipe deslocou até o local com apoio do Samu e ambulância da prefeitura da Lapa, chegando no local foi prestado atendimento a 5 vítimas do ônibus incluindo o motorista, que tiveram ferimentos leves.

Já no veículo Fiat Strada placas de São Mateus do Sul o condutor entrou em óbito no local do acidente.

O motorista do micro-ônibus informou que seguia sentido Lapa quando avistou que na terceira faixa subiam sentido São Mateus do Sul duas carretas e uma terceira ultrapassava as duas, quando o veículo ao tentar fazer uma ultrapassagem forçada na contramão colidiu frontalmente com o ônibus.

O motorista também informou que todos estavam de cinto na hora da batida, todos são trabalhadores de uma empresa frigorífica da cidade da Lapa.
O trânsito ficou lento no local motorista do veículo ainda não identificado.
A PRF também atendeu o acidente.




*Fonte Plantão Policial WhatsApp
*Imagem: Anderson M Ferreira/ Portal Cultura Sul


quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Vereador Lincon Soldi solicita caminhões para coleta de lixo em Porto Amazonas

O Vereador Lincon Soldi (PSDB), anunciou por meio de seu perfil em uma rede social, que nesta quarta feira (18) visitaria o Deputado Estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), na oportunidade o vereador levou varias reivindicações ao Deputado e o presenteou com uma caixa de maçãs, fruta símbolo da cidade.

Foram protocolados ofícios no Gabinete do Deputado que é Líder do Governo, sendo dois relativos à solicitação de dois caminhões, um para a coleta de lixo reciclável e outro compactador para a coleta do lixo orgânico, ambos através do Instituto Águas do Paraná.

Outra solicitação foi direcionada ao DER (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná) no qual solicita “material fresado”, que são raspas de asfalto, para que sejam aplicadas em ruas urbanas e rurais no município.

Também foi protocolado um pedido de informações quanto às constantes interrupções no fornecimento de energia elétrica no município. De acordo com o vereador, já havia sido solicitado às mesmas informações anteriormente, porem até o momento não se obteve respostas, e agora com o intermédio do Líder do Governo, responda e possa solucionar essas interrupções.

O Vereador ainda solicitou que o Deputado intervenha junto a SANEPAR, para que solucione as constantes interrupções no fornecimento de água na cidade, principalmente nos bairros altos da cidade, como na Vila Reis, ele cita que a SANEPAR perfurou um novo poço na Rua Conrado Jeremias Schuhli, porém o mesmo ainda não foi ligado à rede, a Companhia alega que a bomba atual não seria suficiente para atender a demanda, a possível solução apontada pelo Vereador seria a substituição da bomba por uma mais potente.





PRF apreende 10 mil carteiras de cigarro em Balsa Nova


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu cerca de 10 mil carteiras de cigarro contrabandeadas do Paraguai na noite desta terça-feira (17) no Paraná.

Dez mil carteiras de cigarro foram apreendidas pela PRF no início da noite em Balsa Nova, na região metropolitana de Curitiba.

A carga ilícita era transportada em uma caminhonete Chevrolet Montana, que capotou em uma estrada de terra, perto da BR-277. O veículo foi encontrado pelos policiais rodoviários federais por volta das 19h30, abandonado.

Minutos antes, a PRF havia recebido pelo telefone de emergência 191 a informação de que duas caminhonetes transitavam pela contramão da rodovia. O motorista e o segundo veículo não foram localizados. A PRF encaminhou a ocorrência para a Receita Federal em Curitiba.



*Fonte PRF Paraná
*Imagem: Ilustrativa / Divulgação


Entenda a diferença entre zika, dengue e chikungunya

O ano de 2017 iniciou com 855 cidades brasileiras em situação de alerta ou de risco de surto de dengue, chikungunya e zika, de acordo com o último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) do Ministério da Saúde. Com esse cenário, já é possível apontar uma necessidade de redobrar os cuidados de combate aos criadouros do vetor dessas doenças, para evitar que número de casos cresça cada vez mais.

De acordo com os dados do Ministério da Saúde, no ano de 2016 o número de casos de dengue manteve-se estável se comparados ao ano anterior. Até o dia 10 de dezembro foram registrados quase 1,5 milhão de casos prováveis em todo o Brasil, contra pouco mais que 1,6 milhão de casos no ano anterior.

A febre pelo vírus Zika só entrou para a Lista Nacional de Notificação Compulsória de Doenças, Agravos e Eventos de Saúde Pública em fevereiro de 2016, portanto não existem dados oficiais comparativos com o ano de 2015, quando a doença foi identificada pela primeira vez no Brasil. Desde que começou a ser notificada até a publicação do último boletim em dezembro de 2016, foram registrados quase 212 mil casos prováveis de febre pelo vírus Zika no país.


Os casos de febre chikungunya foram os que mais cresceram nesse último ano, com um aumento de cerca de 620% em relação a 2015. Foram registrados em 2016 pouco mais de 263 mil casos, contra 36 mil no ano anterior. De acordo com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a tendência é de que o número de casos dessa doença continue em ascensão em 2017.

Embora o vetor seja o mesmo, o Aedes aegypti, e as três doenças tenham origem no mesmo continente, a África; para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a dificuldade de diagnóstico preciso pode representar um risco para os pacientes. O problema ocorre porque os sinais clínicos causados por esses vírus também são muito parecidos, mas o tratamento é bastante diferenciado.

De forma geral, as três doenças causam febre, dores de cabeça, dores nas articulações, enjoo e exantema (rash cutâneo ou manchas vermelhas pelo corpo). No entanto, existem alguns sintomas marcantes que as diferem.

As diferenças entre dengue, chikungunya e zika

Zika

Os sintomas relacionados ao vírus Zika costumam se manifestar de maneira branda e o paciente pode, inclusive, estar infectado e não apresentar qualquer sintoma (apenas uma em cada quatro pessoas infectadas apresenta manifestação clínica da doença). Mas um sinal clínico que pode aparecer logo nas primeiras 24 horas e é considerado como uma marca da doença é o rash cutâneo e o prurido, ou seja, manchas vermelhas na pele que provocam intensa coceira. Há, inclusive, relatos de pacientes que têm dificuldade para dormir por conta da intensidade dessas coceiras.

Ao contrário da dengue e da chikungunya, o quadro de febre causado pelo vírus Zika costuma ser mais baixo e as dores nas articulações mais leves. A doença ainda traz como sintomas a hiperemia conjuntival (irritação que deixa os olhos vermelhos, mas sem secreção e sem coceira), dores musculares, dor de cabeça e dor nas costas.

Bastante raros, os relatos de morte em decorrência de zika estão, geralmente, relacionados ao agravamento do estado de saúde do paciente, já portador de outras enfermidades. Em 2016, foram confirmados laboratorialmente seis mortes por vírus Zika: quatro no Rio de Janeiro e duas no Espírito Santo.

A doença é associada a complicações neurológicas, como a síndrome de Guillain-Barré e a ocorrência de microcefalia e malformação cerebral em recém-nascidos contaminados pelo vírus ainda durante a gestação. Em 2016, foram registrados 16.864 casos prováveis de gestantes infectadas pelo Zika, sendo 10.769 confirmados por critério clínico-epidemiológico ou laboratorial.

Destes, foram notificados 10.574 casos de recém-nascido natimorto, abortamento ou feto com suspeita de microcefalia ou alterações do sistema nervoso central (SNC), dos quais 3.144 (29,7%) permanecem em investigação e 7.430 já foram investigados, sendo 2.289 confirmados e 5.141 descartados.

Chikungunya

As fortes dores nas articulações, também chamadas de artralgia, são a principal manifestação clínica de chikungunya. Essas dores podem se manifestar em todas as articulações, principalmente nas palmas dos pés e das mãos, como dedos, tornozelos e pulsos. Em alguns casos, a dor nas articulações é tão forte que chega a impedir os movimentos e pode perdurar por meses depois que a febre vai embora.

A confirmação do diagnóstico é feita a partir da análise clínica de amostras de sangue e o tratamento contra a febre chikungunya é sintomático, ou seja, analgésicos e antitérmicos são indicados para aliviar os sintomas, sempre sob supervisão médica. Medidas como beber bastante água e guardar repouso também ajudam na recuperação.

Anti-inflamatórios e até fisioterapia podem ser indicados ao paciente se a dor nas articulações persistir mesmo depois da febre ter cessado.

A chikungunya é considerada mais branda do que a dengue e são muito raras as mortes que ocorrem por sua manifestação. Os óbitos, todavia, podem ocorrem por complicações em pacientes com doenças pré-existentes. Em 2016, foram confirmadas 6 mortes por febre de chikungunya, sendo 3 no estado da Bahia, as outras três nos estados de Sergipe, São Paulo e Pernambuco.

Dengue

Os quatro sorotipos da dengue (DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4) causam os mesmos sintomas, não sendo possível distingui-los somente pelo quadro clínico. O principal sintoma da doença é a febre alta acompanhada de fortes dores de cabeça (cefaleia). Dores nos olhos, fadiga e intensa dor muscular e óssea também fazem parte do quadro clássico da dengue.

Outro sintoma comum é o rash, manchas avermelhadas predominantes no tórax e membros superiores, que desaparecem momentaneamente sob a pressão das mãos. O rash normalmente surge a partir do terceiro dia de febre. Diarreia, vômitos, tosse e congestão nasal também podem estar presentes no quadro e podem comumente levar à confusão com outras viroses.

O quadro de dengue clássico dura de 5 a 7 dias, desaparece espontaneamente e o paciente costuma curar-se sem sequelas.

Já na ocorrência de dengue hemorrágica a situação torna-se mais complicada. A doença, cuja ocorrência é mais comum em pacientes que apresentam um segundo episódio de dengue, de um sorotipo diferente do primeiro caso, causa alterações na coagulação do sangue, inflamação difusa dos vasos sanguíneos e trombocitopenia (a queda do número de plaquetas). Devido à queda das plaquetas e à inflamação dos vasos, os pacientes apresentam tendência a sangramentos que não cessam espontaneamente, dor abdominal intensa e contínua, pele fria, úmida e pegajosa; hipotensão (choque); letargia e dificuldade respiratória (derrame pleural ou líquido nos pulmões).

Dentre as três doenças, a dengue tem sido considerada a mais perigosa pelo número de mortes. Em 2016 foram confirmados 826 casos de dengue grave e 8.116 casos de dengue com sinais de alarme; dos quais 6,8% resultaram em morte, com um total de 609 mortes confirmadas ao longo do ano. No mesmo período de 2015 foram confirmados 972 mortes, representando uma proporção de 4,3% dos casos graves ou com sinais de alarme.


*Fonte Agência Brasil
*Imagem: Ilustrativa / Divulgação


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Richa repassa cota extra de ICMS de R$ 179 mil para Porto Amazonas

Prefeito Polato, vereador Geada, Deputado Sandro Alex, Secretario Ratinho Junior e Vereador Pretinho
O governador Beto Richa repassou, nesta segunda-feira (16), o montante de R$ 179.874,72 para Porto Amazonas, referente a uma cota extra do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O montante refere-se ao valor do imposto cujo pagamento foi postergado por empresas que investiram no Estado nos últimos anos. São companhias que aderiram a programa de incentivos para atração de investimentos e que, como benefício, passariam a pagar o imposto devido a partir de 1º janeiro de 2018.

“Essa é uma demonstração inequívoca de uma gestão responsável, que fez o ajuste fiscal”, afirmou na solenidade, em que recebeu prefeitos e prefeitas de todo o Estado, no Palácio Iguaçu.

“O nosso apoio aos municípios tem sido sistemático, graças ao bom planejamento, à organização das contas. Esses recursos vão auxiliar os municípios em um momento de crise, com manutenção dos empregos, de obras e de serviços. Tivemos o tempo de semear, plantar e agora estamos no tempo da colheita. Deixei minha popularidade de lado para fazer o ajuste fiscal e agora o Brasil inteiro reconhece o trabalho que tem sido feito aqui”, disse Richa.

Ao todo foram repassados hoje R$ 430 milhões aos 399 municípios paranaenses.O governador lembrou que, somados, os R$ 430 milhões da cota extra, os repasses semanais de ICMS e mais as transferências do IPVA vão possibilitar que os municípios recebam até o fim de janeiro R$ 1,68 bilhão em transferências.
Vereador Paulo e Geada, Prefeito Polato e Vice Prefeito Roberto


COTA EXTRA - De acordo com o secretário de Estado da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, as empresas que possuem incentivo fiscal no estado foram consultadas, em setembro do ano passado, para saber se tinham interesse em trazer os impostos devidos a valor presente e efetuar o pagamento.

Ao todo, 72 empresas receberam a carta convite. Dessas, oito aderiram ao pagamento em 2017, com direito a desconto sobre o valor devido de ICMS atualizado.

Juntas, as oito empresas pagaram R$ 1,72 bilhão em impostos e os municípios estão recebendo uma cota extra de 25% desse valor. O dinheiro estará disponível no caixa dos municípios nesta terça-feira (17).

“Ganha todo mundo, porque as empresas têm a oportunidade de pagar o ICMS que já devem, o Estado obtém recursos para fazer investimentos e ajuda os municípios a enfrentar o momento de crise em que vive o país”, disse Mauro Ricardo.

Entre os municípios com os maiores repasses estão Curitiba, que vai receber R$ 49,96 milhões, Araucária (R$ 28,63 milhões), São José dos Pinhais (R$ 22,06 milhões), Londrina (R$ 11,76 milhões), Maringá (R$ 10,12 milhões) e Ponta Grossa (R$ 9,74 milhões).

Vereadores Paulo, Geada e Pretinho com o Prefeito Polato


O prefeito de Assis Chateubriand, Marcel Micheletto, que representou a Associação dos Municípios do Paraná (AMP) no evento, disse que o Paraná é exemplo em gestão pública no País. “É uma ajuda muito importante nesse momento de crise econômica, tanto para os novos prefeitos iniciarem sua caminhada como para os prefeitos reeleitos, que já vêm sentindo a queda dos repasses do Fundo de Participação dos Municípios, da União”, disse.

HUMANO E JUSTO – Beto Richa lembrou que, graças ao ajuste fiscal, as prefeituras aumentaram em 20% a arrecadação de impostos. “Por conta do ajuste, o Paraná tem hoje uma condição diferenciada dos demais Estados. Estamos investindo em infraestrutura, com mais de 500 quilômetros de duplicação de rodovias realizadas ou em execução, ampliamos recursos para segurança, educação e somos referência em várias áreas”, afirmou.

Ele citou o Porto de Paranaguá, que é considerado o mais eficiente do País. “Além disso, temos a Copel foi eleita a melhor distribuidora da América Latina, e a Sanepar a melhor empresa de saneamento do País. Estamos trabalhando para um Estado mais humano, fraterno, solidário e socialmente mais justo” disse Richa.

SECURITIZAÇÃO - De acordo com Mauro Ricardo Costa, os valores devidos de ICMS por empresas que possuem incentivos fiscais e que não aderiram ao recolhimento agora serão utilizados no futuro em uma operação de securitização de recebíveis que está sendo estruturada. A intenção, ao colocar essa carteira no mercado, é obter recursos para serem aplicados em investimentos.

INVESTIMENTO - Não é a primeira vez que as empresas com incentivos fiscais do Governo do Paraná realizam antecipação do pagamento de ICMS com parcelas a vencer. O mesmo já ocorreu nos anos de 2013 e 2014, com o objetivo de recompor o caixa do governo.

Desta vez, a intenção é realizar investimentos no Estado e ajudar os prefeitos a colocar as contas em dia e prestar bons serviços à população paranaense.

PRESENÇAS - De Porto Amazonas estiveram presentes na solenidade de entrega os vereadores Geada , Pretinho, Paulo, o Prefeito Antonio Polato e o Vice Prefeito Roberto.

Repasses ajudam municípios a contornar a crise econômica

Os repasses do governo estadual estão ajudando os municípios a contornar a crise econômica, que tem afetado a arrecadação e comprometido os repasses da União por meio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Em 2016, o Governo do Paraná repassou aos municípios R$ 8,1 bilhões a título de transferências de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e de IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). O valor representa um acréscimo de R$ 321 milhões na comparação com o que foi recebido pelos municípios paranaenses em 2015.

Só em ICMS, os repasses do governo estadual aos municípios do Paraná somaram R$ 6,490 bilhões no ano passado, ante R$ 6,284 bilhões transferidos no exercício anterior, uma diferença a mais de R$ 206 milhões.

No caso do IPVA, as transferências passaram de R$ 1,498 bilhão em 2015 para R$ 1,613 bilhão em 2016 – o acréscimo de um ano para o outro foi de R$ 115 milhões.

Com informações da Agencia Estadual de Noticias
Saúde
Doações
Todo o conteúdo do Blog do Riomar Bruno é gratuito, mas você pode ajudar nos custos de manutenção e produção do Blog. Faça sua doação, clique aqui para saber como.
Blog do Riomar Bruno
Rua Conrado Buhrer, 255 - Centro
Porto Amazonas - PR
Jornalista Responsável: Riomar Bruno dos Santos Ferreira
Comercial: (42) 9144-3838
falecom@riomarbruno.com.br
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Blog do Riomar Bruno.
-Textos e imagens de nossa redação podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte. Conteúdos e imagens aqui veiculadas são de responsabilidade das fontes aqui citadas
Duvidas e sugestões entre em contato.